fc

30 de setembro de 2016

Querido, vou às compras #1

Querido, se me estás a ler, ficas a saber que vou às compras lá para casa. Temos uma garrafeira simpática, mas há sempre espaço para mais umas garrafas, não é verdade?

Aqui está a minha seleção:



FIUZA SAUVIGNON BLANC

Região: Tejo
Casta: 100% Sauvignon Blanc
Aroma com notas florais e frutas tropicais.
Paladar fresco a maracujá com uma excelente estrutura.
Boa textura na boca com uma acidez limpa e um final agradável.
Preço (com 30% de desconto): 2,79€ 
Preço habitual: 6,49€




TAPADA DAS LEBRES DE ARRAIOLOS PREMIUM

Região: Alentejo
Lote com alicante bouschet.
Cor intensa de granada. Tostados de madeira em ligação doce e especiada 
com a fruta madura. Encorpado, salivante, de boa mesa de frango e outras aves.
Preço (com 70% de desconto): 3,79€
Preço habitual: 12,99€




ROVISCO PAIS PREMIUM

Região: Península de Setúbal
Lote com touriga nacional.
Cor intensa. Baunilha e especiarias que aromatizam frutos vermelhos e
 algumas notas tostadas. Boca sucrosa de longa duração. 
Parceiro de carnes brancas e comida italiana.
Preço (com 70% de desconto): 3,69€
Preço habitual: 12,49€




PEDRA CANCELA SELEÇÃO DO ENÓLOGO

Região: Dão
Lote com touriga nacional.
Não encontrei descritivo disponível, este é o meu vinho tinto de eleição
(e eu que pensava que era mais Alentejo...).
Preço (com 60% de desconto): 3,85€
Preço habitual: 9,69€


É bom sublinhar que não sou especialista em vinhos, mas uma boa apreciadora e sempre pronta a aprender. Volto a dizer que esta é a minha seleção. E estes vinhos, que vão morar lá para casa, estão em promoção na Feira de Vinhos 2016 do Continente, que está a decorrer até 16 de outubro. Também vão às compras, não vão?




Da Nossa Cozinha


28 de setembro de 2016

Overnight oats [sem açúcares adicionados] com ameixa

Com este calor que se faz sentir sabe bem tomar um pequeno-almoço como este. Não é a primeira receita de overnight oats que vos trago, mas faço questão de partilhar esta porque tem um sabor especial a final de verão no outono, com ameixa.

A grande vantagem para quem tem pouco tempo de manhã é que prepara-se tudo à noite, de véspera, e quando estamos prestes a tomar o pequeno-almoço basta apenas abrir o frigorífico, depois abrir o frasco e... já está! E faz bem e é um pequeno-almoço diferente.



Overnight oats [sem açúcares adicionados]

Ingredientes:

4 colheres de sopa de iogurte grego natural ligeiro
2 colheres de sopa de aveia integral biológica
1 colher de chá de linhaça dourada moída biológica
1 ameixa vermelha cortada aos pedaços (com casca para quem gosta)
Canela em pó q.b. (opcional) 


Antes de entrar para o frigorífico, à noite


Preparação:

Colocar num frasco com tampa pela seguinte ordem: 2 colheres de sopa de iogurte + aveia + 2 colheres de sopa de iogurte + linhaça + ameixa. 
Preparar à noite e colocar no frigorífico até ao dia seguinte de manhã.
De manhã pode-se polvilhar com um pouco de canela em pó.

Experimentem!




Da Nossa Cozinha



25 de setembro de 2016

Bacalhau fresco no forno com azeite biológico e alcaparras com puré da avó e bróculos

Desafio aceite, Iglo Portugal! Aqui estamos depois de termos conhecido hoje um novo produto desta marca, a Tranche Inteira de Bacalhau Fresco. Vamos diretos ao assunto, que às vezes as imagens valem por muitas palavras.
 
 
 

 
O nosso almoço hoje foi Bacalhau fresco no forno com azeite biológico e alcaparras acompanhado por puré de batata da avó e bróculos ao vapor.
 

 
Ingredientes:
 
Para o bacalhau:
1 Tranche Inteira de Bacalhau Fresco Iglo [descongelada previamente]
Sumo de meio limão
Sal marinho q.b.
6 alhos descascados e picadinhos
6 colheres de sopa de azeite biológico [usei Azeite de Moura]
2 colheres de sopa de alcaparras
 
Para o puré de batata da avó:
800 g de batatas descascadas e cortadas
Sal marinho q.b.
2 colheres de sopa generosas de manteiga
Leite meio-gordo bastante quente, acabado de ferver q.b.
1 gema de ovo
 
Para os bróculos a vapor:
300 g de bróculos
 

Preparação:
 
Bacalhau:

Começar por temperar a tranche de bacalhau com sal e o sumo de limão e reservar 30 minutos.


Quando estiver prestes a fazer a meia hora, ligar o forno a 190º C, para aquecer.

Colocar o bacalhau no pirex que se pretende levar ao forno, eliminando o líquido da marinada. Reservar.

Numa pequena frigideira antiaderente colocar o azeite e os alhos bem picados em lume médio até alourar ligeiramente. Retirar do lume e juntar as alcaparras e envolver. Verter cuidadosamente por cima da tranche de bacalhau e levar ao forno cerca de 30 minutos.


Tranche de Bacalhau Fresco prestes a entrar no forno pré-aquecido a 190º C.

 
Puré de batata da avó:

Nota: Quando se inicia o puré de batata temos de o fazer de seguida e até ao fim, já que para ficar bom tem de estar tudo bem quente.

Levar as batatas ao lume com água e sal em lume alto e deixá-las cozer bem.
 
Na reta final das batatas colocar num outro recipiente o leite ao lume até ferver. Reservar.
 
Depois de cozidas escorrer bem a água e colocar parte das batatas no passe-vite e transformá-las em puré. Continuar até passar todas as batatas.
 
Juntar a manteiga ao puré de batata e mexer bem com uma colher de pau (a manteiga vai-se envolvendo, devido ao calor do puré). Se ficar um pouco para derreter, não tem problema, porque vamos juntar agora um pouco do leite fervido, bem quente, que vai tratar disso e dar a consistência que se pretende ao puré de batata. Mexer bem e juntar mais leite, se necessário. Quando se atinge a consistência desejada, prova-se para ver se é necessário retificar tempero [aqui pode-se juntar noz moscada, por exemplo, mas o nosso foi assim simples, como a avó gosta], e quando está no ponto junta-se uma gema de ovo e mexe-se muito bem. Está pronto a servir.
 

Bróculos ao vapor:

Podíamos ter recorrido a tachos, mas usámos a Bimby para cozer os bróculos ao vapor. 1000 g de água no copo, os bróculos na Varoma e temperatura Varoma / 20 minutos / Vel 1.
 
 


O almoço conquistou todos aqui em casa, o que é excelente! Provar um alimento novo - o nosso pequeno crescido de 5 anos nunca tinha comido bacalhau fresco - e gostar à primeira diz muito. E o facto de o bacalhau ser pescado em alto mar e congelado em excelentes condições garante qualidade no prato. Aqui em casa andamos cada vez mais atentos.

Boa semana!


Da Nossa Cozinha


12 de agosto de 2016

Verão 2016 # Em vésperas de fim de semana XL

Este verão está a ser quente, intenso e simultaneamente doce. Hoje é véspera de fim de semana prolongado e surge um ligeiro sabor a férias, já que o período maior está para vir, mas só no mês 9. Por isso, apetece-me colocar aqui algumas fotos deste verão que estão no nosso instagram.




A palavra de ordem para nós é aproveitar os próximos dias, sem grandes planos, e deixar fluir. Esquecer horários e fazer com que as horas pareçam não ter fim. Brincar muito, que o H. anda a aproveitar estes dias ao máximo, mas também dar muitos beijos e abraços aos meus homens. 

O H. ainda não sabe ler (estará para breve essa etapa) e pede-nos, sobretudo ao fim de semana, que leiamos por/ para ele. Ficou muito curioso com um livro que lhe ofereceram, O Pequeno Gigante, de Roald Dahl, que já esteve no cinema, mas como tem mais texto do que imagens o que é que aconteceu? Estou eu a lê-lo. :D E a gostar bastante, diga-se! A escrita é fluída, a ação rápida e ficamos presos, página a página. Adoro certas expressões do Pequeno Gigante. No final - estou quase lá - vou recontar a história ao mais pequeno lá de casa e arrancar-lhe algumas gargalhadas.



O livro, que chegou a Portugal em novembro de 2015 (mas foi escrito em 1982), foi agora reeditado com uma capa alusiva ao filme. Espero que o filme, realizado por Steven Spielberg, esteja disponível em DVD por altura do Natal, que será um presente bem giro!

Enquanto isso, leiam o livro como eu e surpreendam-se com o GGG, o Grande Gigante Gentil, que, ao contrário dos restantes gigantes, como o Suga-Sangue e o Traga-Nacos, recusa-se a comer "cereais humanos" (leia-se: pessoas). Este "Pequeno Gigante" cruzou-se com Sofia e juntos embarcam numa aventura - que não vos vou contar porque não sou spoiler - que junta dois mundos, o nosso e o País dos Gigantes.  A amizade que nasce entre as duas personagens principais é enternecedora e preparem-se para rir muito com as falas do "Pequeno Gigante", que tem (muitos) momentos de (não me levem a mal e sem ofensas a ninguém) de Jorge Jesus (sobretudo quando estava no Benfica). "As palavras saírem-me entortinhadas", diz o "Pequeno Gigante". 

Este foi o livro mais giro que entrou lá em casa este ano! Está à venda na Fnac e na Wook.

Bom fim de semana XL!


Da Nossa Cozinha




8 de agosto de 2016

Comida caseira com sabor a infância # Carne guisada com massa tricolor

Este fim de semana tive de preparar um jantar rápido e apeteceu-me os sabores da minha mãe. Lembrei-me da sua carne guisada com massa feita num ápice na panela de pressão. E eu, que não como este prato há anos, já que a "fase da carne de vaca" passou-me há muito, deliciei-me, a verdade é essa, com a carne a desfazer-se na boca...

Fica aqui a receita para quem quiser dar uso à panela de pressão (de outro modo é perfeitamente viável, demora é mais tempo) e provar os meus sabores de infância. Digamos que é comida vintage... ;)





Carne guisada com massa tricolor

Ingredientes:

450 g de carne de vaca cortada em pedaços descongelada
1 cebola 
2 dentes de alho
1 tomate grande maduro
Vinho branco q.b.
Água q.b.
Azeite q.b.
Salsa q.b.
Sal q.b.
Massa à vossa escolha q.b.

[Peço desculpa por não indicar as quantidades, mas foi a olho, como se costuma dizer]

Preparação:

Colocar em lume médio-alto na panela de pressão destapada a cebola e os alhos, tudo bem picado, com azeite até alourar. Ir mexendo de vez em quando. Depois adicionar o tomate, sem pele, em cubos e deixar refogar mais um pouco. Adicionar um pouco de azeite, se for necessário.

Depois juntar a carne, um molho pequeno de sala enrolado, vinho branco e água (deve estar tudo coberto e ter pelo menos 3 dedos de líquido) e temperar com sal. Depois tapar a panela de pressão e contabilizar 10 minutos a partir do momento que se ouve o assobiar característico. Ao fim deste tempo, retirar do lume e, com a panela fechada, deixar sair o ar, com cuidado. Atenção: Só abrir a panela depois de todo o ar sair.

Mexer e juntar a massa, eventualmente mais água (no meu caso não foi necessário) e retificar o tempero. Fechar novamente a panela de pressão, colocá-la novamente em lume médio-alto e contabilizar 6 minutos após o som. Repetir os cuidados anteriores: Ao fim deste tempo, retirar do lume e, com a panela fechada, deixar sair o ar, com cuidado. Atenção: Só abrir a panela depois de todo o ar sair.

E já está, pronto a ir para o prato e a ser servido!


Da Nossa Cozinha

21 de julho de 2016

Decorem este nome: BIOCO # Restaurante

Façam o favor de entrar aqui connosco e sentarem-se um bocadinho. Estamos no Bioco - Casa de Pasto, em Olhão, e descobrimos esta preciosidade graças a um amigo algarvio (Obrigada, João!).

Viemos aqui almoçar num dia de férias e adorámos, do princípio ao fim. Não somos críticos gastronómicos, mas sabemos detetar bons spots, por isso, considerem esta uma partilha de amigos.

Vamos deixar que as fotos que tirámos falem por si.













Nós, adultos, quisemos petiscar, como já perceberam. O mais pequeno comeu sopa e o prato do dia, Maminha à Messi, que não fomos a tempo de registar em imagens, tal era a larica.

Ameijoas à Moda do Bioco, Cogumelos Salteados, Batatas Bravas, Salada de Tomate e Mozzarela e Chèvre com Mel estão nas fotos acima. Que festim!

A sobremesa dos adultos foi Cheesecake de Frutos Vermelhos e o nosso pequenote deliciou-se com a Mousse de Chocolate. 






Eu sou dada a curiosidades e a verdade é que há cerca de um mês antes cruzei-me com a palavra bioco, a propósito de uma exposição que está a decorrer na Casa-Museu Medeiros e Almeida, em Lisboa, intitulada SEESAW, de Sofia Pidwell. Aqui descobri que bioco é uma espécie de burca portuguesa que se usava no Algarve e que acabou proibido em finais do século XIX. Podem ver como era já abaixo... E fiquem também com o lema deste espaço: "Mais amor por favor". 




No Bioco a cozinha é pequena, mas a alma e engenho grandes. Vão ficar surpreendidos - e rendidos - pela qualidade e pormenor de cada prato, bem como pela relação qualidade/preço. O serviço é discreto, atencioso e rápido. E conquistou-nos, está dito. Até breve, Bioco!




Bioco - Casa de Pasto
Travessa dos Mercadores, 1
Olhão
Tel: 289 705 393
www.facebook.com/bioco.olhao

Este post não foi patrocinado.


Da Nossa Cozinha

3 de junho de 2016

Convite #2 Last call! | Últimos dias da Rota de Tapas


Ora aqui está! A capital está a fervilhar de tentações e antes dos Santos Populares chegou mais uma edição, a 7.ª, da Rota de Tapas Estrella Damm, que reuniu 54 espaços aderentes em Lisboa, 29 no Porto e, pela primeira vez, 21 em Braga.

Nós somos fãs desta Rota, tapear é connosco! Por motivos profissionais não conseguimos ir ao evento de apresentação – agradecemos à Estrella Damm o amável convite – e ficámos dias a falar nisso. Porquê? Porque nesta edição os chefs foram desafiados a criar uma tapa com fusão de sentidos. Estão (já) a imaginar?! E cada tapa é acompanhada por uma Estrella Damm (0,25L), por um preço fixo de 3€.

LAST CALL!!! Só têm até domingo, que a Rota das Tapas termina já dia 5 de junho!
Nós ainda queremos provar estas em Lisboa!


Começando por cima, da esquerda para direita:


A Maria não deixa | Rua da Boavista, 28 
Trilogia de Croquetes: Trilogia de Croquetes, cada um com o seu molho. Do Minho a alheira, os legumes do Ribatejo e o atum do Algarve

Maruto, Bar & Bistro | Rua Cais de Santarém, n.º 30 
Tiborna de Alheira: Fatia de Pão Alentejano com Queijo de Cabra, Mel e Alheira, Regada com Azeite e Alho e Tostada no Forno

Esplanada Príncipe Real | Praça do Príncipe Real 
Sloppy "Little" Joe: Mini Sloppy Joe com Queijo e Cebola Frita

Tunel de Santos | Largo de Santos, 1A
Tapa Surpresa: Cogumelos com Linguiça, Mexilhão à Espanhola e Gambas com Molho Cocktail

Para saber quais os espaços aderentes: Facebook Estrella Damm ou a app ou o site da Zomato (apenas para os restaurantes de Lisboa e Porto).

Ana

Da Nossa Cozinha