28 de junho de 2013

Guest Post # Canelones tricolores do As Dicas da Bá

Abrimos as portas do Da Nossa Cozinha à Bá(rbara), do As Dicas da Bá, a autora do Guest Post de hoje. Para conhecê-la um pouco melhor e ao seu blogue leiam a entrevista de ontem aqui. Bom, chega de conversa, que a Bá trouxe uma receita daquelas duplamente boas - fácil e prática - e ao som de Daft Punk, com a música que está a marcar o Verão e que é bem ao gosto da nossa convidada.



Olá!

Para os leitores do blogue Da Nossa Cozinha trouxe uma receita muito simples, que vai implicar mexer pouco nos tachos, fresca e saborosa e que faz sempre um brilharete entre os amigos: Canelones tricolores recheados com espinafres, requeijão e salmão.

É uma receita leve para o verão e, caso não goste de algum ingrediente é fácil: basta substituir.

Canelones tricolores recheados com espinafres, requeijão e salmão

Antes de tudo deixo aqui a lista dos ingredientes necessários para fazer a receita:


- Uma embalagem de canelones
- 300 g de requeijão
- 300 g de salmão
- 400 g de espinafres
- Queijo ralado
- Sal
- Pimenta


Para o molho béchamel:

- 600 ml de leite
- 60 g de farinha
- 40 g de manteiga
- Sal q.b.
- Pimenta q.b.
- Noz moscada q.b.
 

Receita:

Comece por retirar o requeijão da embalagem e, num prato, temperar com sal e pimenta q.b. até fazer uma pasta e reserve.

Depois, corte o salmão em pequenos pedaços e reserve.

Escalde em água quente os espinafres e depois passe por água fria e corte-os em pedaços.
Passe os canelones por água quente para que amoleçam, mas não deixe ficar muito tempo para que não fiquem demasiado moles e seja mais difícil rechear. Atenção que depois de passar por água quente não deve deixar os canelones juntos para que não colem e, a separar, possam partir.

Agora que está tudo pronto basta começar a rechear. Escolha uma ordem que queira e recheie em partes iguais os canelones com os preparados de requeijão, salmão e espinafres (normalmente é esta a ordem que utilizo). À medida que vai recheado disponha cada um dos canelones um ao lado do outro, ou por cima, quando já não houver mais espaço.



 
Depois de estarem todos recheados faça o molho béchamel. Junte todos os ingredientes do molho numa panela em lume brando e vá mexendo até o molho engrossar, mas que ainda assim seja líquido o suficiente para verter sem problemas. Depois coloque o molho béchamel por cima dos canelones. Em seguida polvilhe por cima com queijo ralado e depois leve ao forno a 180º C cerca de 25 minutos até a parte de cima ficar dourada.


Como podem ver é uma receita muito simples e bastante leve agora para o Verão. Espero que gostem e depois tentem várias combinações.

Bá, foste a primeira blogguer convidada fora do universo gastronómico e aceitaste sem hesitar o desafio. Muito obrigada pela excelente conversa de ontem e por esta receita de sucesso. Da Nossa Cozinha sai um abraço para ti, com a certeza de que nos veremos em breve, que somos fãs do teu As Dicas da Bá (vão lá tornarem-se seguidores e não se esqueçam do like no Facebook)!

A Cozinheira

Da Nossa Cozinha

27 de junho de 2013

Hoje na Cozinha está... As Dicas da Bá

Querem saber qual o hipermercado mais barato? A Bá diz. E quais as ofertas de última hora que permitem poupar? A Bá conta. Dúvidas no modo de usar um colar? A Bá ajuda. A Bá é mulher, mãe de duas crianças, especialista em finanças pessoais - é uma conceituada jornalista do Dinheiro Vivo (Diário de Notícias/Jornal de Notícias), que colabora ainda com outros meios - e apaixonada pela vida, que decidiu criar um blogue.

É uma caixinha de surpresas, a Bá (e o seu blogue!). Praticou surf durante vários anos, como escape, e foi federada em... hóquei em patins. Hoje na Cozinha está... As Dicas da Bá.




PERFIL
Nome: Bárbara Barroso
Idade:30 anos
Naturalidade: Cascais

Blogue: asdicasdaba.blogspot.pt (1.º post a 18/2/2013)
Prato que te sai sempre bem: Bacalhau à brás e espiritual.
Tens sempre tempo para: Os meus filhos.

Bárbara, por que criaste o As Dicas da Bá?


Porque senti necessidade de partilhar algumas dicas e informações que vou sabendo (ou informação que tenho acesso enquanto jornalista) e que penso serem relevantes para a vida das pessoas. Já tive um blogue apenas focado nas finanças pessoais, mas agora decidi dar um toque de lifestyle. Isto porque todas as nossas acções e decisões implicam escolhas que podem ser mais ou menos acertadas. Quanto maior a informação que tivemos, melhores escolhas fazemos.

Para quem não conhece o blogue, indica 3 motivos por que é imperdível.

É bastante actual, tem dicas sobre as várias vertentes da vida de uma pessoa e também textos escritos na primeira pessoa com algum humor.

Quem é a Bárbara no dia-a-dia? 

Uma mulher sempre atarefada que se divide entre o ser mulher, mãe de dois rapazes, jornalista, formadora de finanças pessoais, autora de dois livros com mais uns projectos a caminho, blogguer e um bocadinho empreendedora com alguns negócios próprios.

 
O segundo livro de Bárbara Barroso, publicado em 2011.

Gostas de cozinhar? É uma paixão ou uma necessidade?
Sim, gosto, mas não todos os dias.




Cozinhas todos os dias? O que te dá mais prazer cozinhar?
Desde que o filho mais novo chegou tem sido mais o marido a ir para a cozinha. Gosto de cozinhar pratos simples e doces.


Há proximidade entre ti e os teus seguidores (respondes a comentários, a e-mails...)? Porquê? 
Sim, existe. Procuro sempre responder aos e-mails e comentários, criando um elo com quem me lê. Trago isso já do jornalismo. Trabalhando na área económica muitas pessoas contactam com dúvidas e perguntas e procuro sempre responder. Se ficou algum por responder, peço desculpa, não foi mesmo intencional.


O que te leva a publicar um post?
A utilidade da informação, a sua relevância e também os sorrisos que podem arrancar.



O que dizem as tuas mãos?
Que tenho dois filhos pequenos (tenho as mãos sempre cheias de creme)! 

Amanhã não percam a receita da Bá para nós!

A Cozinheira

Da Nossa Cozinha

25 de junho de 2013

Gelado de Cerejas

E não é que o calor chegou?! Vamos celebrar com Gelado de Cerejas?





Gelado de Cerejas

Adaptado do livro Velocidade Colher -  Entre Tachos e Bimby

Ingredientes:

500 g de cerejas
220 g de leite gordo
100 g de açúcar amarelo
1 iogurte natural

Preparação:

Na véspera lavar, enxugar, descaroçar as cerejas e colocá-las numa caixa no congelador, assim como colocar o leite em cuvetes de gelo também no congelador.

Colocar o açúcar no copo da Bimby e pulverizar 15 Seg / Vel 9.

Adicionar o iogurte e o leite congelado e dar uns golpes de turbo para desfazê-los.








Juntar as cerejas congeladas e programar 1 Min e 30 Seg / Vel 9. Parar se necessário para, com a ajuda da espátula, baixar o preparado. Se necessário, programar mais um minuto. No nosso caso não foi.

Nós servimos quatro bolas de gelado de imediato - não aguentámos e estava com um sabor e uma textura dignos de uma geladaria de renome - e guardámos o restante numa caixa no congelador. Quando for para servir basta retirar uns minutos antes. 

O gelado que foi a congelar




Gelado para todos!

A Cozinheira

Da Nossa Cozinha

23 de junho de 2013

Risotto de alheira

Cá em casa é regra que todos comem o mesmo às refeições - a partir do momento que o Bebé Cozinheiro começou mesmo a comer a "nossa" comida -, não há pedidos especiais. Mas para todas as regras há excepções e de tempos a tempos, quando se justifica, sabe bem quebrá-las.

Ontem foi um desses dias. Passámos grande parte do dia fora, chegámos às 20h00 a casa, era sábado e apetecía-nos um prato diferente, apetecía-nos... Risotto de alheira.



Risotto de alheira

Ingredientes:

2 litros de água + água q.b. para cozer a alheira
1 caldo de Knorr de legumes
1 alheira
1 cebola pequena
1 dente de alho
Azeite q.b.
225 g de arroz para risotto
1 copo de vinho branco
Sal e pimenta a gosto
Tomilho q.b.

Preparação:

Começar por preparar o caldo: colocar num tacho ou numa panela em lume alto os 2 litros de água e quando estiver prestes a começar a ferver adicionar o Knorr e deixar cozinhar 5 minutos. Transferir para um bico pequeno com o lume no mínimo, para que o caldo continue quente.

Colocar num tacho em lume alto a alheira submersa em água até ferver, desligar e retirar para um prato. Eu tentei cozinhá-la mais um pouco mais e rebentou. Don't panic! Se acontecer, verter para um escorredor. Retirar a pele e reservar a carne.

Picar bem a cebola e o alho - no meu caso, a cebola não ficou picada como queria, que é das novas e pôs-me a chorar de tal maneira que não via nada - colocar a cebola numa ponta do tacho e os alhos na outra com azeite q.b. para refogarem separadamente em lume médio-alto. Este truque é para o sabor do alho não ficar anulado pelo da cebola. 

Quando a cebola estiver translúcida o alho já deve estar alourado e é quando se juntam os dois e o arroz a seguir. Misturar bem até o arroz estar translúcido.



O arroz acabado de se juntar à cebola e ao alho

Adicionar o copo de vinho e mexer com frequência até que seja absorvido. E é aqui que damos uso ao caldo. Para vos dar conta da quantidade de caldo que usei, transferi 5 conchas de sopa para a chávena que usei para o arroz (enchi-a). Coloquei esta primeira chávena de caldo (quente, lembram-se?) no arroz e mexi de vez em quando. Quando absorveu um pouco mais de metade, voltei a adicionar outra chávena cheia de caldo. E ainda levou mais caldo: metade de uma chávena! Pára-se de adicionar caldo quando o arroz já está praticamente cozido (como na foto que se segue). É preciso provar!


Adicionar a alheira, envolver bem e provar novamente, para retificar os temperos, adicionando sal e pimenta q.b. e um pouco de tomilho.


A metade da alheira que não rebentou, mas usou-se tudo!


Envolver bem, desligar o lume e servir de imediato, com mais um pouco de tomilho.

No tacho assim que se desligou o lume...
... E no prato!

E que bem que nos soube! São servidos?


Bom apetite!

A Cozinheira

Da Nossa Cozinha

18 de junho de 2013

E-book com 31 Receitas # Mum's the Boss

Lembram-se de eu dizer aqui que tinha novidades? Pois neste post está a maior! A Magda, do blogue Mum's the Boss, convidou-nos para participar num e-book criado pelo Mum's the Boss para dar uma resposta rápida à pergunta "O que vai ser o jantar?".

E para além de rápida essa resposta pode ser deliciosa, com sugestões de 31 blogues, para cada dia do mês!
Vejam e façam o download do e-book AQUI.
Este foi o teaser do Mum's the Boss
para chamar a atenção sobre esta iniciativa no blogue.
Quando recebemos o convite nem queria acreditar... Fiquei emocionada e tão feliz, que só consegui responder no dia seguinte porque se o fizesse antes acho que não diria coisa com coisa. Isto porque a título pessoal acompanho há muito tempo o Mum's the Boss e sou fã da Magda e, sobretudo, da sua capacidade de comunicação. Para mim é das melhores a comunicar - e acreditem, falo com conhecimento de causa -, fantástica tanto no blogue como no Facebook. Temos todos a aprender com ela. Querem saber mais sobre a Magda? Vejam aqui. E sobre o seu trabalho? Não percam aqui.






A receita que preparámos - "Farfalle com atum, cogumelos e miolo de camarão" - está na página 17. Estamos entre blogues de referência e nós, pequeninos que somos, estamos muito felizes e orgulhosos! Guardem este livro e usem-no!

Do coração: Muito obrigada, Magda e Mum's the Boss, por este voto de confiança.
Um abraço d',
A Cozinheira e O Cozinheiro
 

Da Nossa Cozinha

17 de junho de 2013

YES, WE CAN! Molotof

Missão: Eliminar claras congeladas (e desocupar o congelador).
Missão Impossível: Molotof. Nã, nã... Missão possível!
Molotof? YES, WE CAN!



Caixas e mais caixinhas, mais precisamente 13 claras, que passaram do congelador para o frigorífico à noite para aí descongelarem e que no dia seguinte foram transformadas neste belo Molotof.

Estive a ver que possíveis usos podia dar a estas claras até que fui convencida por esta receita da Ratolinha, que adaptei à minha quantidade de claras, e pelas suas palavras: «Basta seguir a receita que fica bem». Check! Faço minhas as suas palavras!



Molotof

Ingredientes:

13 claras
13 colheres de sopa de açúcar
4 colheres de sopa de caramelo líquido (usei de compra)
Margarina q.b.
  
Preparação:

Untar uma forma com buraco com caramelo ou margarina (usei a 2.ª opção). Reservar.

Ligar o forno a 180º C.

Ferver água e verter para um tabuleiro, onde irá ser cozido o Molotof em banho-maria, e colocar no forno.

Bater as claras em castelo bem firme.

Ir adicionando aos poucos o açúcar e continuar sempre a bater (eu juntei o açúcar todo de uma vez) e continuar a bater.

Por fim, juntar caramelo líquido a gosto (adicionei 4 colheres de sopa) e bater mais um pouco.

Atenção a esta parte: Colocar na forma untada este preparado usando uma colher, tendo o cuidado de ir alisando para não formar bolhas de ar.

Pôr a forma no forno dentro do tabuleiro com água para cozer em banho-maria.

Atenção também a esta parte: deixar cozer um minuto por cada clara de ovo usada. Neste caso, 13 minutos.

A chave do sucesso para o Molotof não abater: Ao fim desse tempo, desligar o forno e abrir ligeiramente a porta. Segui o conselho da Ratolinha e coloquei uma rolha de cortiça para a porta não fechar. Retirar o Molotof só quando o forno estiver quase frio. Deixar esfriá-lo completamente para desenformá-lo.


À saída do forno...



... E acabado de desenformar!

Pode-se servir com caramelo ou doce de ovos. Cá em casa foi assim mesmo, simples. E que bom que estava!


Esta receita é espectacular e pode ser adaptada às claras que temos disponíveis. Se tivermos 6, serão 6 colheres de sopa de açúcar, adapta-se a quantidade de caramelo líquido e coze 6 minutos. Há lá melhor do que isto?!
  
Desculpem, não estamos a conseguir parar de comer... Mas há para todos! Boa semana!



A Cozinheira

Da Nossa Cozinha

14 de junho de 2013

Guest Post # Torta com doce de morango do Uma Pedra de Sal

Guest Post que habitualmente se segue ao Hoje na Cozinha está... hoje pertence à Sónia, do Uma Pedra de Sal.  Ainda vão a tempo de conhecer esta blogguer de mão cheia aqui! O blogue é este e podem seguir o Facebook também, sim? Agora, sentem-se, sintam-se à vontade e tirem uma fatia da magnífica Torta com doce de morango que a Sónia preparou para nós ao som de Mafalda Veiga.





Olá, a todos!

Lá por casa, bolos/tortas e afins só com uma razão muito especial. Desde que decidimos "comer melhor" tentamos comer doces por excepção e não por regra.

Esta torta fiz especialmente para o blogue Da Nossa Cozinha, que teve a amabilidade de me convidar para uma entrevista e para este guest post!  Meia sem jeito, porque sou apenas a Sónia, aceitei o convite e o desafio e resolvi fazer uma torta simples, mas que resulta sempre! Porque assim é a minha cozinha, comida simples, para pessoas de carne e osso.

 

Torta com doce de morango

Ingredientes:

5 ovos S (240 g)
240 g de açúcar (mesmo peso dos ovos)
120 g de farinha Branca de Neve (metade do peso dos ovos)
1 pitada de sal refinado
Açúcar em pó q.b.
Doce de morango a gosto*

*Utilizei este caseiro
  
Preparação:

Pré-aqueça o forno a 180º C.

Separe as gemas das claras. No copo da Bimby bem limpo e seco aplique a borboleta e coloque as claras com uma pitada de sal. Programe 6 minutos, velocidade 3 e ½. Retire e reserve.

Coloque as gemas com o açúcar e bata 6 minutos, velocidade 3.

Misture suavemente as claras e a farinha (peneirada) ao creme de gemas com movimentos de baixo para cima.

Num tabuleiro para tortas forre com papel vegetal que deve ser untado e polvilhado com farinha. Deite a massa da torta e leve ao forno por 18 minutos.

Findo o tempo, retire a torta para um pano, elimine o papel vegetal e barre com o doce da sua preferência. Lá por casa utilizamos doce de morango acabado de fazer.

Enrole a torta com a ajuda do pano e depois de enrolada deixe-a arrefecer assim. Depois de fria, retire o pano, coloque numa torteira e termine com um pouco de açúcar em pó.



Alternativa de Preparação:

Pré-aqueça o forno a 180º C.

Separe as gemas das claras. Bata as claras com uma pitada de sal até obter um castelo firme (se virar a tigela, as claras não caem). Reserve.

Bata as gemas com o açúcar durante cerca de 6 minutos ou até obter um creme esbranquiçado e fofo.

Misture suavemente as claras e a farinha (peneirada) ao creme de gemas com movimentos de baixo para cima.

Num tabuleiro para tortas forre com papel vegetal que deve ser untado e polvilhado com farinha. Deite a massa da torta e leve ao forno por 18 minutos.

Findo o tempo, retire a torta para um pano, elimine o papel vegetal e barre com o doce da sua preferência. Lá por casa utilizamos doce de morango acabado de fazer.

Enrole a torta com a ajuda do pano e depois de enrolada deixe-a arrefecer assim. Depois de fria, retire o pano, coloque numa torteira e termine com um pouco de açúcar em pó. 





Obrigada aos Cozinheiros pelo convite e por me receberem na vossa cozinha. É um prazer imenso ver-vos crescer e partilhar convosco a blogosfera culinária.

Sónia, a nossa cozinha passa a ser a tua cozinha! O Cozinheiro e eu agradecemos teres aceite o convite e acreditares em nós e no Da Nossa Cozinha. Identificamo-nos muito com o Uma Pedra de Sal porque também cozinhamos para «pessoas de carne e osso», tal e qual como tu! O teu blogue encontra-se em plena época dos Descobrimentos e estamos a adorar chegar a novos portos contigo. Da Nossa Cozinha sai um abraço para ti e para o Mário e um beijinho para o vosso rebento!

Digam-nos tudo! Gostaram? Pela velocidade a que desapareceram as fatias não gostaram... adoraram!!!
A Cozinheira



Da Nossa Cozinha

13 de junho de 2013

Hoje na Cozinha está... Uma Pedra de Sal

Hoje na Cozinha está... a primeira seguidora do Da Nossa Cozinha.  Tem 34 anos, duas profissões e (para já, dizemos nós) não pensa em fazer da cozinha profissão. A Sónia, do blogue Uma Pedra de Sal, faz dupla com Mário, o marido, inclusive no blogue. «Sous-chef perfeito», Mário ajuda também com ideias e nas fotos. Mas cabe a Sónia assumir a liderança da cozinha, onde experimentar novas conjugações a faz feliz e a nós mais ricos gastronomicamente. Vamos conhecer um pouco melhor a Sónia, que transporta para a cozinha o amor que bebe na «felicidade a três». 



PERFIL
Nome: Sónia Alegre
Idade: Deixei de contar, faço por diferença para o meu marido, que tem mais 10 anos do que eu, por isso… Deixa cá ver… Acho que são 34 a caminho de 35 (nasci em 11/11/1978, dia de São Martinho)
Naturalidade: Nasci em Lisboa, mas sempre me senti alentejana. Nunca percebi porquê, já que toda a família é do Douro…
Blogue: www.umapedradesal.blogspot.pt 
(1.º post a 25/3/2012) (Ups! Acho que me esqueci do 1.º aniversário…)
Prato que te sai sempre bem: Esparguete com bacalhau ou arroz de atum, os meus preferidos…
Tens sempre tempo para: Aí está algo complicado…. Não tenho tempo, quase nem para dormir. (sorriso) Mas diria que tenho sempre tempo para cozinhar… Ou para beijar a minha princesa… Sou uma “chata”, como ela já diz, porque sou demasiado beijoqueira!

Sónia, por que criaste o Uma Pedra de Sal?


Bem, Ana… Há quem diga que gosto de “sarna para me coçar” e como ainda dormia 7 horas por dia… Resolvi meter-me em mais uma aventura. Na verdade criei o blogue por insistência do meu marido, que acha que sou a melhor cozinheira do mundo, e porque me cansei de passar receitas em papel aos amigos e colegas. Agora limito-me a enviar o link. (sorrisos)



Sónia, Mário e a filha


Quem é a Sónia no dia-a-dia? 

A Sónia do dia-a-dia é tipo furacão… Tenho um trabalho de 8 horas por dia. Dou aulas de dança. Organizo espetáculos de dança. Dinamizo qualquer tipo de evento que me peçam. Ah! E sou mãe e esposa… E, claro, tenho o blogue e tudo o que o envolve (cozinhar, fotografar, visitar outros blogues, etc.). Resumindo e baralhando, padeço de um problema grave – falta de tempo para tudo e mais alguma coisa. E, sendo exigente como sou e tentando dar sempre de mim 200%, acabo quase sempre frustrada e com a sensação de que poderia ter dado mais…


Brownies de cacau puro e abóbora

  

De onde é que surgiu a paixão pela cozinha?
Não sei… Sempre gostei de ler livros de culinária e ver programas do tema. Mas até ao dia em que casei, nunca cozinhei… A minha mãe nunca me deixava entrar na cozinha, sempre achou que me devia dedicar aos estudos. E no dia em que casei, quase automaticamente, peguei no meu primeiro tacho e cozinhei… e não mais parei. 



Cozinhas todos os dias? O que te dá mais prazer cozinhar?

Sim, cozinho praticamente todos os dias. Só se não tiver tempo de todo, o que é raro, porque cozinhar, para mim, é um anti-stress. Mesmo quando chego demasiado cansada e demasiado tarde arranjo sempre um espaço para cozinhar, mesmo que esse tempo seja roubado ao descanso e ao sono… Adoro cozinhar doces e sobremesas… Mas como não posso estar sempre a fazê-los, porque acho que devem ser feitos e comidos com moderação, acabo sempre por cozinhar muitos mais pratos salgados, do dia-a-dia. Adoro improvisar! Adoro ter um ou dois ingredientes e pôr à prova a minha imaginação. É cozinhar de improviso que me dá verdadeiramente prazer.

Há proximidade entre ti e os teus seguidores (respondes a comentários, a e-mails...)? Porquê? 

Sim, tento sempre fazê-lo. É um privilégio enorme saber que inspiro outras pessoas, nem que seja a experimentarem novos sabores, novos produtos. Receber feedback, tirar dúvidas ou simplesmente agradecer aos comentários que me deixam é algo que considero obrigatório. Ter um blogue não deve ser apenas um repositório de receitas, de pensamentos, de desabafos. Há alguém do outro lado do ecrã. Há alguém que nos lê, partilha emoções, que ri das coisas tolas que escrevo, que se revê nas dúvidas que tenho. E, por isso, temos de estar preparadas para viver toda essa proximidade virtual de forma o mais activa possível.



A Sónia esteve entre as finalistas d'A Mesa dos Portugueses,
uma iniciativa do Correio da Manhã,
 com esta receita e ainda viu publicada duas outras receitas:
Cataplana de bacalhau com frutos do mar e Arroz de frango no forno

 

O que te leva a partilhar uma receita?


Apenas partilho o que gosto de comer, o que resulta cá em casa. Não é um blogue de receitas apenas minhas, é como se fosse o meu livro de receitas. Receitas que criei, receitas que experimentei e adorei e que faço questão de publicitar. Por isso, todas as receitas que partilho são as minhas receitas preferidas, os sucessos e normalmente nunca os insucessos (e às vezes eles acontecem porque só não falha quem não experimenta).


O que dizem as tuas mãos?

«Estamos fartas que nos uses como pegas». Na verdade, ando sempre com queimaduras nas mãos e braços… Simplesmente esqueço-me de que os tabuleiros, tachos e afins estão quentes e pego-lhes com as devidas consequências… Especialmente nos dias em que ligo o turbo! 


Amanhã não percam a receita da Sónia! Doce ou salgado? Palpites?

A Cozinheira

Da Nossa Cozinha