4 de maio de 2017

Bolo salgado Primor com bacon de peru (sim, peru!) # De comer e chorar por mais

O último fim de semana foi delicioso: simples e muito equilibrado, com agenda social q.b. e o aproveitar do nosso espaço, que às vezes sabe-me pela vida. 

Aproveitei também para cozinhar com calma, testar receitas e conhecer um novo produto da Primor. Já vos disse que adoro esta marca, não já? Aplaudo a aposta na inovação e em novos produtos, como este bacon... de peru! Maravilhoso, só vos digo. Tem alto teor de proteína, baixos teores de gorduras e de açúcares e é isento de glúten.


Usei-o num Bolo salgado que é irresistível, principalmente se o puserem na mesa pouco depois de sair do forno. Que perdição! 




Bolo salgado Primor 

Ingredientes:

- 250 g de farinha tipo 55 (sem fermento)
- 1/2 pacote de fermento
- 4 ovos
- 15 cl de óleo
- 15 cl de vinho branco
- 150 g de bacon de peru Primor cortado em cubos pequenos
- 150 g de queijo Emmental ralado
- 125 g de azeitonas pretas descaroçadas e cortadas às rodelas



Preparação:

 Misturar bem a farinha com os ovos. 

Segue-se o fermento, o óleo, o vinho branco - usei um que adoro - Fiuza Sauvignon Blanc  - que depois acompanhou este bolo salgado - e o queijo. Envolver bem até a massa ficar homogénea.

Por fim, adicionar o bacon e as azeitonas na massa anterior e verter para uma forma previamente untada com manteiga e polvilhada com farinha.


Levar ao forno pré-aquecido a 190º C durante 45 minutos, sensivelmente. Antes de retirar do forno fazer o teste do palito e deixar alourar a gosto.


Esta receita é para dias especiais, como o próximo domingo, que é Dia da Mãe. A sugestão desta receita, originalmente com queijo Gruyère (que não encontrei! se alguém me souber dizer onde encontro, diga-me, por favor!), foi de uma amiga que tem muito mais para partilhar aqui



Enquanto não reúnem todos os ingredientes deliciem-se! E sigam a Primor no Facebook e no Instagram para ficarem a par das próximas novidades.



Um beijinho,
Ana


Da Nossa Cozinha

28 de abril de 2017

11 cocktails a não perder na Lisbon Cocktail Week # Last call

Amanhã é o último dia da Lisbon Cocktail Week, que celebra o imenso mundo dos cocktails e das bebidas espirituosas. São mais de 60 locais em que se pode usufruir de uma ação 2 por 1, entre as 18h e as 23h, e partilhar um cocktail com alguém especial. 

Deixo-vos 11 cocktails a não perder:



Ibi Gold
Composição: Hendrick's Gin, St-Germain, sumo de toranja, xarope de sabugueiro, clara de ovo, alecrim, tónica caseira.
Vestigius, Cais do Sodré
Preço: 13€



Viúva Negra
Composição: Olmeca Reposado Tequila, Bols Blue, concentrado de gengibre, grenadine, tabasco, sumo de lima.
A Paródia, Estrela
Preço: 9,5€



By the River
Composição: Havana Club 7 Anos Rum, licor de amêndoa amarga, sumo de lima, sumo de ananás natural com hortelã, espuma de ananás com aroma de amêndoa.
Espelho de Água, Belém
Preço: 10€




Melancia da Calçada
Composição: Altos Reposado Tequila com infusão de malagueta, Réccua Porto Rosé, melancia, sumo de lima, ginger syrup.
Espumantaria do Petisco, Baixa 
Preço: 9€



Blazer
Composição: Bols Ginger, lima, manjericão, sumo de maçã, zest de laranja.
Alfaiataria, Lapa
Preço: 7€



Cuban Collective
Composição: Bacardí 8 Anos Rum, Cointreau, bitters caseiros, sumos de laranja e limão, zest de chocolate.
Cobre, Cais do Sodré 
Preço: 7,5€



Fruits Summer Mix
Composição: Captain Morgan Jamaica Rum, salada de fruta, sour mix, xarope de alecrim, clara de ovo.
Ático, NH Liberdade, Marquês de Pombal 
Preço: 11€



A Mula Russa
Composição: Stoli Vodka, Fever-Tree Ginger Beer, gengibre, pepino, sumo de lima, hortelã.
Baliza, Bica
Preço: 7€




Caramel n.º 3
Composição: Jameson Whiskey, Martini Rosso, calda de canela, gelado de caramelo.
Bastardo, Rossio
Preço: 9€




Thyme O´Clock
Composição: Hendrick's Gin, sumo de limão, água de gengibre, xarope de tomilho, clara de ovo.
Le Chat, Santos
Preço: 12€



Summer Delight
Composição: Plymouth Gin, xarope de gengibre, sumo de limão, melancia fresca, pimenta rosa, cardamomo verde.
Caravelas, Cais do Sodré
Preço: 9€

Podem ver mais opções de cocktails aqui.

Beber com moderação! E bom fim de semana prolongado!
Ana




Da Nossa Cozinha

13 de abril de 2017

Que venha o próximo! # 3.º Festival do Ouriço na Ericeira

A Ericeira recebeu o 3.º Festival Internacional do Ouriço e encerrou-o de forma magnífica no passado domingo. Estava um dia  fabuloso de primavera - que mais parecia de verão! -, o mar azul no tom único desta vila e o hotel Vila Galé Ericeira prontíssimo para receber o showcooking do Chef Roberto Sihuay.



O almoço começou com um ouriço tão fresco, tão fresco que ainda mexia. Tinha sido apanhado naquele dia de manhã. Não acreditam? Ora vejam.

video







De seguida, o Chef Roberto Sihuay casou na perfeição a riqueza da gastronomia peruana com o ouriço do mar e deu a degustar um ceviche que continha dois tipos de milho do Peru - sabiam quem neste país existem 3000 tipos diferentes de milho? E já que estamos numa onda de curiosidades: 4000 variedades de batatas e outras tantas de malaguetas? - que acompanhou com um cocktail peruano fantástico, com Pisco, uma bebida que é uma espécie de aguardente com 42% de álcool.
 


Ainda tivemos oportunidade de degustar o buffet do mar, que é habitualmente servido aos domingos ao almoço no hotel Vila Galé Ericeira (falarei mais sobre este buffet noutra altura), e fui surpreendida pela feijoada de búzios e pela moqueca de polvo, que recomendo vivamente.

Foi uma honra ser convidada para este evento da "minha terra" e ver que também aqui se realizam eventos de tão elevada qualidade e excelente organização. Venham muitos mais! Tive a oportunidade de conhecer ainda o Chef Justin Jennings, que na semana anterior tinha realizado um showcooking também inserido no Festival e realizado no mesmo local.

Estas experiências levam-nos a querer conhecer outras! Vou estar mais atenta a tudo o que envolva ouriços do mar e, paralelamente, ao projeto Endògenos, que promove e valoriza os produtos endógenos portugueses e as suas origens.

Também vou querer descobrir o Peru e a sua gastronomia. A breve e simpática apresentação foi o suficiente para despertar em mim a curiosidade. Não é à toa que o Peru é considerado o Melhor Destino Gastronómico há cinco anos consecutivos pelos World Travel Awards, os "Óscares do Turismo". Está na minha wishlist ir a um restaurante peruano, sem dúvida! E também conhecer o restaurante do Chef Justin Jennings,  o Downunder, em Lisboa, o único restaurante australiano do país e que está a ser um sucesso.

Um beijinho,
Ana


Da Nossa Cozinha

7 de abril de 2017

Festival do Ouriço na Ericeira # Já fui e vou voltar!


Se ainda não foram ao 3.º Festival Internacional do Ouriço do Mar, na Ericeira, esta é a última oportunidade, já só têm até este fim de semana! Tive a minha primeira experiência no sábado no Estrela do Mar, em Ribamar. Se não conhecem este restaurante, digo-vos que andam a perder a Sopa Rica do Mar, que só por si é praticamente uma refeição e é ma-ra-vi-lho-sa! Bom, mas continuemos com os ouriços, que foram eles que nos fizeram ir procurá-los lá - e ainda bem porque deparei-me com a recente renovação do espaço.


Fonte: Facebook do Estrela do Mar

E aqui foi a primeira vez que comi um ouriço. Sugeriram-nos que provássemos na chapa - e assim foi. Só se come o que vêm a laranja, as ovas, e o sabor é intenso, sabe a mar, se dúvidas houvesse da sua proveniência.




Segue-se a oferta que têm disponível neste festival e o nosso pedido.






Os ouriços foram a entrada dos adultos e depois deliciámo-nos com uma caldeira para 2, que é tão bem servida que deu para nós e o Henrique e ainda tivemos (um grande) almoço no dia seguinte! Aqui não se inibam de levar para casa, OK? Bastante completa, a caldeirada, e deliciosa! 

Estávamos muito bem, mas não resistimos ao bolo de chocolate com bola de gelado e o Henrique lambuzou-se com uma mousse de chocolate. Têm os contactos de todos os restaurantes participantes no 3.º Festival Internacional do Ouriço do Mar aqui.

Agora estou curiosa - e expectante - relativamente ao Chef peruano que no domingo, dia 9, vai reinterpretar o ouriço do mar ao almoço no Hotel Vila Galé Ericeira. O Chef Roberto Sihuay é o mais recente talento da cozinha sul-americana que está a colocar a gastronomia do Peru nas bocas do mundo. Adepto daquilo a que chama “tradição moderna” é considerado um dos grandes embaixadores da gastronomia peruana na Europa, com três restaurantes em Barcelona – o Ceviche 103, o La Turuleka e o novíssimo Nikkei 103.



Qué tal? ;)


Da Nossa Cozinha

20 de março de 2017

3.º Festival Internacional do Ouriço do Mar # Ericeira

Existem semanas que começam e em que já estamos com os olhos postos no fim de semana e a verdade, verdadinha é que até já estou um pouco mais à frente. No dia 31 de março começa o 3.º Festival Internacional do Ouriço do Mar, na Ericeira, e se, por um motivo ou por outro, não consegui ir às edições anteriores, esta, meus caros, não me escapa!

São dez dias para saborear o ouriço do mar preparado pelos restaurantes locais, descobrir as diversas utilizações culinárias pela mão de grandes Chefs mundiais e conhecer o contexto ambiental e cultural desta espécie que outrora deu nome à minha (ao fim de uma década a morar cá já é minha também, OK?) vila piscatória. A Ericeira já foi Ouriceira, devido à forte tradição na apanha do ouriço do mar, e continua a ser uma das zonas costeiras de Portugal onde as condições são mais favoráveis ao desenvolvimento do ouriço do mar.  

Confesso que o meu foco está sobretudo na vertente gastronómica desta iniciativa promovida pela Câmara Municipal de Mafra. São 24 restaurantes aderentes que vão incluir nas ementas um destaque especial ao ouriço do mar, reinventando receitas ou promovendo o consumo na forma mais simples, ou seja, ao natural. Estou também curiosa relativamente aos showcookings com vários Chefs de renome - marquem na agenda: Mercado Municipal da Ericeira, dias 1 e 8 de abril.

António Alexandre, Chef do projeto Endògenos que promove e valoriza o ouriço do mar da Ericeira desde 2013, e o Chef Justin Jennings (Austrália) e o Chef Roberto Sihuay (Peru) são algumas presenças já confirmadas neste Festival.



Aqui ficam os contactos dos restaurantes aderentes para que possam reservar:



Boa semana!

Da Nossa Cozinha

14 de março de 2017

Linguine al carbonara

A semana acabou de começar e planear as refeições ajuda-nos a poupar tempo para além de permitir-nos comer melhor. Depois de um dia de trabalho a pergunta que mais custa a responder, normalmente, é "O que vamos jantar?". Para evitar isso, no domingo costumamos preparar algumas das nossas refeições da semana. Se nunca o fizeram, experimentem e não vão querer outra coisa, acreditem. No nosso caso deixamos sempre um ou outro dia em aberto para serem preenchidos com refeições leves, já que por cá (infelizmente) janta-se tarde, ou por algo rápido de preparar, mais comfort food, como este Linguine al carbonara.
 
Para ser ainda mais rápido a preparar, cozi o linguine pelo método tradicional e fiz o molho na Bimby, de modo a estar tudo pronto em simultâneo. Desta vez introduzi um novo sabor ao incluir na receita o novo fiambre da Primor, inserido na gama Balance: Peito de Peru com Ervas.

 


Linguine al carbonara 
Inspiração: aqui
 
Ingredientes:
250 g de linguine
Água q.b.
Azeite q.b.
Sal q.b.


Para o molho:
2 dentes de alho
40 g de manteiga
150 g de bacon
100 g de fiambre Primor Peito de Peru com Ervas
100 g de natas
1 gema de ovo
Azeite q.b.


Preparação:
 
Colocar um tacho com água sal em lume médio-alto e assim que levante fervura adicionar o linguine e um fio de azeite. Assim que comece a ferver novamente contabilizar 7 minutos e ao fim desse tempo desligar o lume.
 
Colocar no copo da Bimby o alho e picar 3 seg/vel 8. Com a ajuda da espátula baixar o que ficou na parede do copo.
 
Juntar a manteiga, o bacon e as fatias de fiambre inteiras e refogar 5 min/Varoma/vel 1. Parar a meio para soltar algum fiambre que fique preso na pá, porque queremos que o fiambre seja cortado enquanto refoga (se o partirmos antes ficará pequeno demais e não é esse o objetivo; queremos comer o linguine e sentir pequenos pedaços de fiambre).
 
Entretanto, numa tigela colocar as natas e uma gema e mexer bem com um garfo.
 
Quando o refogado estiver pronto programar 2 min/90º C/vel 2 e adicionar em fio, pelo bocal da tampa, a mistura anterior.
 
Colocar o linguine numa taça e envolvê-lo com o molho. Servir de imediato e finalizar com queijo parmesão ralado a gosto.

 




Gostei bastante deste novo produto, com um sabor mais forte do que habitual, o que o permite várias utilizações. Na semana passada fiz um Calzone com ele e ficou ma-ra-vi-lho-so! Sigam o Facebook da Primor e estejam atentos aos Passatempos.

 


Boa semana!

Da Nossa Cozinha

13 de fevereiro de 2017

Sobremesa [rápida] para o Dia de São Valentim # Mousse de chocolate-laranja da Nigella Lawson


Andava para experimentar esta mousse de chocolate-laranja da Nigella Lawson desde que os meus olhos se cruzaram com a receita. E eis que fui buscá-la para ser a sobremesa do jantar de amanhã. O sabor, esse, é intenso, distinto, como se pretende para um jantar especial. (Sim, já que provamos, OK?)




A receita, com os ingredientes, quantidades e modo de preparação, está aqui

Feliz dia de São Valentim!
Ana


Da Nossa Cozinha

31 de janeiro de 2017

Cocotte de fiambre e noz

É uma alegria para nós cozinhar, ainda mais quando guardamos tempo para criar receitas diferentes que resultam em delícias que habitualmente não comemos. É o caso desta cocotte, que tem o sabor do fiambre com o toque do forno a lenha envolvido com pequenos pedaços de noz e a cenoura e... bom, vou parar, que estou a salivar. 


É fácil de preparar e depois toca a colocar no forno em banho-maria. Vamos aos ingredientes, que depois é um instante.





Cocotte de fiambre e noz
Para 4

Ingredientes:

- 100 g de fiambre Primor Peito de Peru em Forno de Lenha   
- 2 cenouras pequenas raladas
- 2 fatias de queijo flamengo
- Nozes partidas em pedaços pequenos q.b.
- 8 colheres de sopa de natas
- Pimenta q.b.
- 4 ovos
- Pão q.b. para acompanhar


Preparação para 1 cocotte:

Começar por pré-aquecer o forno a 190º C.

1. Forrar o fundo de um ramequim com cenoura ralada.
2. Colocar meia fatia de queijo flamengo.
3. Adicionar as nozes a gosto, 2 colheres de sopa de natas e temperar com um pouco de pimenta.
4. Juntar 2 fatias de fiambre partidas em pequenos pedaços.
5. Tapar tudo com 1 fatia de fiambre inteira.
6. Finaliza-se com o ovo.








Colocar os ramequins dentro de um recipiente com água para para cozinhar em banho-maria no forno a 190º C. Estes estiveram 25 minutos (pode ser menos no vosso, o nosso forno leva o seu tempo). Retirar do forno e servir, acompanhado com pão ligeiramente torrado.

Estão a ver aquelas mãos do Gabriel a deliciarem-se? A verdade é que este novo produto da gama Balance da Primor, com baixo teor em gordura, fez a diferença pelo sabor. Façam like aqui e estejam atentos aos passatempos. Vamos dar-vos a conhecer mais algumas novidades desta marca portuguesa porque temos a honra (e o prazer) de sermos parceiros desta empresa que está a reinventar o dia à mesa e fora dela. 





Gostam de cocotte? Já se atreveram a experimentar?

Um beijinho,
Ana


Da Nossa Cozinha

6 de janeiro de 2017

Caldeirada de palmito # Resolução 2017: Mais comida vegetariana

2017 já cá está e uma das (poucas) resoluções que tomei - e para cumprir ao longo do ano - é ter uma melhor alimentação e mais consciente. E isso inclui preparar mais pratos vegetarianos lá em casa. Temos um casal de amigos vegetarianos com os quais temos descoberto novos alimentos (como o palmito), paladares surpreendentes e receitas excecionais, como a que se segue, e que a querida Solange me ensinou.

A Caldeirada de palmito é verdadeiramente um sucesso lá em casa, com umas gotas picantes finais de Tabasco no prato dos adultos. Ma-ra-vi-lho-sa! Requer mais tempo nos preparativos porque no momento de ir juntando tudo é rápida.

Experimentem e deliciem-se! 



Caldeirada de palmito

Ingredientes:

1 lata de Palmito (comprei no Aldi)
12 ovos de codorniz
2 cebolas cortadas às rodelas
Azeite q.b.
Meio pimento amarelo
Meio pimento vermelho (desta vez não usei)
Meio pimento verde
Tomate cherry q.b.
Azeitonas verdes descaroçadas q.b.
Batatas cozidas q.b.
200 ml leite de côco
Polpa de tomate*


*Ingredientes para a polpa de tomate:
2 cebolas médias
2 dentes de alho
3 tomates grandes
Azeite q.b.
Sal q.b.


Preparação:

Começamos por fazer a polpa de tomate: Refogar em azeite as cebolas e os dentes de alho picados e quando alourar juntar o tomate sem pele e cortado aos pedaços. Deixar cozinhar em lume médio baixo para apurar. Depois de cozinhar, deixar arrefecer um pouco e triturar. Reservar.


Foi-me expressamente recomendado pela Solange que deixasse ferver o palmito em água durante 10 minutos, deixasse arrefecer e depois corta-se. Foi o que fiz. Reservar.



Continuemos com os preparativos:

- Cortar finamente os pimentos em rodelas (eu tinha congelados cortados de outra forma);

- Cozer os ovos de codorniz e descascá-los;

- Lavar e cortar ao meio o tomate cherry;

- Cozer batatas (mas não deixar ultrapassar o ponto, para depois não se desfazerem) e cortá-las aos cubos;

Começar a fazer arroz branco, que será o acompanhamento desta caldeirada, agora que vamos passar à fase de juntar tudo numa frigideira grande.

Na frigideira pôr a cebola e o azeite a alourar; depois juntar os pimentos e deixar cozinhar um pouco.


Segue-se o palmito, que precisa de uns 3 minutos, até que se juntam a polpa de tomate e os restantes ingredientes: tomate cherry, as batatas cozidas, os ovos e as azeitonas. Deixar cozinhar um pouco para ganhar sabor.



Por fim, juntar um pacote de leite de côco (como adoro o molho juntei cerca de 300 ml). Deixar ferver e apagar. Servir de imediato e acompanhar com arroz branco. Atrevam-se e coloquem por cima da caldeirada umas gotas de Tabasco (uns salpicos, ligeiros, para irem aperfeiçoando a quantidade consoante o vosso gosto).




Bom Ano!
Ana

Da Nossa Cozinha